Odiamos PDF! posições oficiais da OKBr?

open-data
okbr-regras
okbr-suporte
pdf

#1

Abrindo tópico para discussão.

São assuntos que se misturam:

  1. Movimento em defesa dos formatos abertos (open formats advocavy). A OKBr tem por missão esclarecer a comunudade, dar exemplo, e pressionar o governo na adotação de formatos abertos. Não faz sentido advogar sem dar exemplo.

  2. Movimento em defesa da sustentabilidade. Imprimir menos e visualizar mais.
    Mas para visualizar “documentos oficiais”, é preciso visualização padronizada, pois ninguém gosta de soltar um documento oficial esculhambado, que cada um vai visualizar de um jeito diferente. É o nicho de mercado do PDF, onde o EPUB ainda não consegue competir…

  3. Implementação de uma nova cultura editorial… A única saída é gerar simultaneamente PDF e EPUB ou PDF e página HTML, ou os três, como fazem os repositórios abertos de artigos científicos (ex. o SciELO e o PubMed Central), e grandes revistas abertas como a PLOS ONE.
    Isso requer organizar melhor as linhas de produção, desde os originais, gerar produtos com mais cuidado, e dar a garantia de que todos os três formatos têm exatamente o mesmo conteúdo e permitem visualizar a mesma estrutura e os mesmos dados.

  4. Janela de oportunidade! PDF tem cura. São os padrões abertos de paged media (mídia paginada) que se tornarão uma realidade com o lançamento do padrão CSS3 break, previsto para esse ano, depois de mais de 10 anos de espera.
    … Aí, enfim, o EPUB deixará de ser brinquedo para ser coisa séria e substituir o PDF. A OKBr precisa se capacitar (dando exemplo) e se preparar para o advocacy do EPUB ano que vem… Ideal seria “entrar de sola” para não perder a oportunidade.
     
    PS: o efeito é recorrente, reinventa o próprio PDF, com impacto inclusive no mercado milhonário da editoração de diários oficiais. Com esse padrão aprovado, a geração de PDF a partir de uma simples página HTML (e usando editores de HTML!) passa a ser possível e barata — nas editoras pequenas e médias, elimina-se o custo de licença Adobe InDesign e da mão-de-obra artesanal operando ele, e nas nas grandes editoras elimina-se as soluções arcaicas, fora do ecossistema de padrões abertos.

  5. A OKBr estará investindo (R$ em suporte!), e por hora, como solitário coordenador de suporte, estou adotando esse PDF to HTML5 Converter… Precisamos discutir como equipe técnica se vai ser esse mesmo o caminho.
    O PDF oficial da OKBr fica armazenado no nosso git (exemplo pasta git), cujo acesso fica eternizado pelo nosso endereço oficial de downloads baixar.ok.org.br (ex. baixar RelatorioODI-SP-2017.pdf), e a sua visualização no endereço correspondente ver.ok.org.br (ex. ver RelatorioODI-SP-2017.pdf)… conforme regra assumida.


#2

Dari pra trocar EPUB por MOBI, por exemplo.


#3

Ola @rimolive, acho que você se refere ao item 3, bem lembrado o MOBI (!), que deu origem aos formatos-proprietários da Amazon (.MOBI, .AZW, .KF8 e .KFX), e, visto assim, pode ser considerado o formato dominante no mercado mundial de e-books.

Um repositório público importante e totalmente aberto, que não citei, é o Projeto Gutenberg: ver exemplo livro Machado de Assis. Ele oferece além dos abertos EPUB, HTML e TXT, o formato MOBI (na interface até chama de “kindle”).


… Justamente o MOBI, como o PDF, está fora do “ecossistema aberto”. Enquanto o W3C não lançar o padrão citado acima de CSS3-break, não haverá concorrência real para Adobe e Amazon… A estratégia no item 3 é essa: não criar barreiras aos usuários, mas priorizar a oferta de padrões abertos.

Podemos dizer que o Gutemberg Project “trocou no cardápio” o PDF pelo MOBI… Mas alguns items são de presença obrigatória no cardápio. Assim como o Gutemberg, em repositórios da comunidade open data, jamais devemos deixar de distribuir conteúdos em HTML e/ou EPUB.


#4

Não me atentei ao detalhe de que MOBI é um formato proprietário, você tem razão.


#5

para acompanhar o status da abertura do pda da imprensa nacional.

http://paineis.cgu.gov.br/QvAJAXZfc/opendoc.htm?document=ias\projeto%20ias.qvw&host=QVS%40idc-qlik-ias-p&anonymous=true&sheet=shPDA

http://paineis.cgu.gov.br/QvAJAXZfc/opendoc.htm?document=ias\projeto%20ias.qvw&host=QVS%40idc-qlik-ias-p&anonymous=true&sheet=shPDA